A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) vai destinar 82% dos investimentos realizados até 2017 para a educação, de acordo com anúncio feito pelo presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, nesta terça-feira (20). O valor total investido para obras, reformas e modernização do sistema será de R$200 milhões. Do total investido, R$164 milhões serão utilizados para a educação. A meta é realizar 1 milhão de matrículas até 2017. “Hoje em dia, as indústrias não buscam apenas incentivos fiscais, mas também mão de obra qualificada, porque não há processo inovador que se sustente sem bons profissionais. Muitas novas indústrias procuram o Sistema Findes e demandam nossos serviços. Investir em educação é investir na competitividade da indústria capixaba”, disse o presidente do Sistema Findes.

Novas unidades de ensino e a ampliação de unidades já existentes estão previstas no Plano de Investimentos do Sistema Findes. As pbras em andamento por todo o estado totalizam R$51,5 milhões. Nos municípios de Anchieta e Cachoeiro de Itapemirim, novos Centros Integrados estão sendo construídos. Já em Aracruz, Serra, Vila Velha, Colatina e Linhares, os locais recebem melhorias nas estruturas de educação, cultura, esporte e lazer. Nos investimentos em educação, destaca-se o valor de R$62 milhões empregado para aquisição de máquinas, equipamentos, computadores e unidades móveis, ou seja, para a modernização dos laboratórios. “Nossas salas de aula precisam estar tão modernas quanto as indústrias. Queremos gerar profissionais que dominem o que há de melhor no mercado, entendam os processos e saibam inovar no ambiente de trabalho”, afirmou.

Nesse sentido, Marcos Guerra anunciou a construção de uma unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Centromoda em Araças, no município de Vila Velha. O local será feito nos mesmos moldes da unidade entregue em 2014, em Colatina, com a configuração de uma minifábrica têxtil. A proposta é criar um ambiente onde os alunos se preparam para a vivência do dia a dia nas indústrias de vestuário. Entre os anúncios feitos por Marcos Guerra, também está o Instituto Senai de Tecnologia, uma estrutura inédita no Espírito Santo, que vai custar cerca de R$30 milhões para a Findes. “O IST vai contribuir para a transformação do perfil da nossa indústria, com foco na prestação de serviços para o setor metalmecânico. Estamos investindo em inovação, ampliando nossa participação nas cadeias globais de valor, buscando ter mais competitividade e produtos de maior valor agregado”, afirmou o presidente.

Crescimento da produção:

O cenário otimista planejado para os próximos anos da indústria capixaba justifica-se pelos resultados do setor e o crescimento registrado em 2014. De acordo com um levantamento do Instituto de Desenvolvimento Educacional Industrial do Espírito Santo (Ideies), a produção física da indústria capixaba cresceu 5% no período. No Brasil, a indústria nacional sofreu queda de -3%. O crescimento no Espírito Santo foi influenciado pelo bom desempenho da indústria extrativa, que registrou acréscimo de 11,9%. Ainda de acordo com o estudo, nos últimos cinco anos, o setor produtivo capixaba cresceu 3,5% acima da média da indústria nacional, que registrou aumento de 1,4%.

Sistema Findes:

O Sistema Findes é uma organização formada por oito entidades que trabalham de forma integrada para o desenvolvimento da indústria capixaba. As entidades são a Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes), o Centro da Indústria do Espírito Santo (Cindes), o Serviço Social da Indústria (Sesi-ES), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-ES), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-ES), o Instituto de Desenvolvimento Educacional Industrial do Espírito Santo (Ideies), o Instituto Rota Imperial (IRI) e o Condomínio do Edifício Findes (Conef).

Copyright © 2017 Todos os direitos reservados.