O fim do boleto sem registro foi anunciado em 2015 pela Federação Brasileira dos Bancos – Febraban, como parte do projeto Nova Plataforma de Cobrança. Pensando em esclarecer as dúvidas das entidades, preparamos um artigo com todas as informações que você precisa saber sobre o assunto:
1. O que é boleto sem registro?

O boleto sem registro é emitido pela entidade que tem uma conta a receber e envia ao cliente. Esse tipo de boleto bancário não precisa ser registrado no sistema do banco, de forma que a tarifa bancária só é cobrada no momento em que o boleto é pago. Também não é obrigatório especificar o valor e a data de vencimento.

2. O que é boleto com registro?

O boleto com registro é quando a entidade gera o boleto e envia o arquivo remessa ao banco, responsável por lançar todas as informações no sistema contidas nesse arquivo: valor, vencimento, endereço, CPF ou CNPJ, entre outras. Os boletos com registro exigem que qualquer alteração seja repassada ao banco. Se o boleto a ser pago não for encontrado no sistema, o pagamento não é autorizado.

3. Haverá acréscimo de tarifas?

O banco pode cobrar tarifas sobre as operações de registro, pagamento, alteração, cancelamento, permanência ou baixa do boleto. Ou seja, a entidade pode pagar mais de uma tarifa para o mesmo boleto. Por isso, é importante realizar pesquisas e negociações dos valores praticados pelos bancos, para saber qual terá o melhor custo-benefício.

4. O que muda no dia-a-dia com o fim do boleto sem registro?

A principal mudança para a entidade, será a necessidade de informar o valor e registrar o boleto antes de enviá-lo ao cliente. Os dados cadastrais do pagador devem estar completos, isso inclui obrigatoriamente o nome, CPF ou CNPJ e endereço. Depois disso, o boleto pode ser transmitido ao banco (via arquivo remessa). Dentro do prazo estipulado pelo seu banco, o arquivo retorno deve ser processado, observando possíveis inconsistências.

5. Qual o prazo que tenho para estas mudanças?

De acordo com a Febraban, a implantação será feita em ondas, conforme o cronograma abaixo. Porém, na prática, os bancos não estão mais aceitando boletos sem registro, independente do valor.

Fonte: Febraban

 

6. O que muda no sistema bancário a partir das datas da Febraban?

Todo e qualquer banco a partir do registro terá todas as informações sobre o boleto, podendo ser pago, mesmo em atraso, em qualquer banco, agência, internet, mobile ou caixas eletrônicos. Com isto, o pagador não precisará mais solicitar a emissão de 2ª via do boleto.

7. O que eu devo fazer para começar a usar o boleto registrado?

  • Atualize todos os dados cadastrais dos seus clientes. Principalmente o nome, CPF ou CNPJ e endereço. Esses dados serão fundamentais para a emissão das faturas.
  • Entre em contato com o banco da sua entidade para se informar a respeito do processo de migração dos boletos sem registro para os registrados.
  • Pergunte no banco quais serão as taxas para as operações. Com esses valores você pode ter ideia de qual será a melhor instituição bancária para emitir as suas cobranças.

 

Desde o anúncio do fim dos boletos sem registro pela Febraban, a Micromust iniciou o processo de migração dos boletos emitidos pelo sistema Gersin para a modalidade registrada. Esta alteração tem o objetivo de adequar as emissões de acordo com as determinações da Febraban.

Nossos clientes podem ficar tranquilos, pois já estamos preparados para gerar os arquivos remessa para todos os bancos. Após escolher sua instituição financeira, entre em contato com o nosso suporte que daremos as orientações de como proceder.

Se sua entidade precisa emitir boletos registrados de forma descomplicada, conheça o sistema Gersin clicando aqui.

Para ajudá-lo ainda mais, preparamos um infográfico explicando a diferença entre boletos sem registro e com registro. Se houver qualquer dúvida, deixe seu comentário que estamos aqui para auxiliá-lo.

FIQUE ATENTO:

A Guia Sindical (GRCSU) também está contemplada no projeto Nova Plataforma de Cobrança. Portanto, a guia sindical deverá ser registrada a partir de setembro/2017, segundo a Caixa Econômica Federal.  Estamos aguardando a disponibilização da plataforma da CEF para testes, para podermos disponibilizar o sistema com essa adequação para todos os clientes. Qualquer informação a respeito será disponibilizada em nossos canais de comunicação.

Copyright © 2017 Todos os direitos reservados.